segunda-feira, janeiro 04, 2010

SAÍDA DE EMERGÊNCIA










Estávamos no IPO para uma consulta de urgência, com o meu pai em morfina, sem dias nem horas contadas, fora do tempo e de si, num espaço que não é o nosso.
Uma senhora velha de rosto amarelo oferece-me uma mão gelada e apoia-se no meu calor enquanto espera por uma cadeira de rodas.
Agarrei-a pelo coração e foi tudo o que conseguir fazer por ela.
Ao fundo vejo uma saída de emergência. Iluminada. Tentadora.
Pensei, se sair por ali talvez tudo volte a ser como era.
Saí.
Lá fora estava a chover.
Cá dentro também.

2 comentários:

antoniomaia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
denise disse...

"Agarrei-a pelo coração " -gosto muito******