sexta-feira, junho 27, 2008

AI SE EU FOSSE COMO O FERNANDO PESSOA


Se eu fosse como o Fernando Pessoa
não adormecia sem ser poesia.

Se eu fosse tão Pessoa quanto o Fernando era
dava tudo o que tenho em vez de ficar à espera.

Arriscava o rabo burguês
da minha acolchoada lucidez
na poça mais fétida da desgraça...

Ai, tudo em mim voa quando rima com Pessoa!

Mais que gente, sinónimo de amor ardente,
é uma costela aninhada na trincheira da memória.
(não sei se isto vale pela rima ou pela história...)

Se é Pessoa, a verdade soa.
Mesmo que doa e doa e doa.

3 comentários:

Debaixo do Bulcão disse...

Ora até que enfim!

Já não via (lia) um poema novo neste blog há quase um ano!

A.V.

Luis Rainha disse...

muito bom.

antoniomaia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.